A Bemis Company captura erros em arquivos de embalagens com rapidez e facilidade usando o Esko Automation Engine com o sistema de revisão Global Vision

Um sistema completo, automatizado, utilizando texto, verificação ortográfica, em Braille e código de barras assegura que os arquivos correspondem à arte final aprovada do cliente.

 

Miamisburg, OH (EUA) Janeiro, 2017 - A falta de um elemento gráfico ou a impressão de texto incorreto nas embalagens podem custar muito caro para o impressor ou conversor. O custo maior pode advir da retirada do produto, com custos extremamente altos e, o mais importante, danos à própria marca. No entanto, o processo de revisão manual pode consumir muito tempo e não ser consistente - resultando, assim, em um processo que pode comunicar mal as edições a serem feitas, provocando erros. A Esko tem o prazer de anunciar que a Bemis Company Inc. (Bemis) relata melhorias graças à implementação de um dos primeiros processos de controle de qualidade automatizados no mercado de embalagens. Através de uma parceria combinada com a Esko e a Global Vision (www.globalvisioninc.com), as ferramentas de controle de qualidade da Global Vision foram incorporadas ao Automation Engine. Usando a funcionalidade da Global Vision, a Bemis consegue fazer verificações de controle de qualidade automáticas na arte final da embalagem, conferindo texto, arte, ortografia, braile e códigos de barra.

Com sede em Neenah, Wisconsin, a Bemis Company Inc. tem representado um papel influente na indústria da embalagem desde sua fundação, em 1858. Considerada hoje a mais flexível empresa de embalagem das Américas, a Bemis atende clientes no mundo inteiro e seus produtos estão em virtualmente cada corredor dos supermercados. Com 61 instalações em 12 países ao redor do mundo, a empresa oferece tamanho e escopo sem igual. A Bemis combina dedicação ao progresso da ciência de materiais com recursos de fabricação de classe mundial e atendimento de qualidade ao cliente, criando uma vantagem competitiva no mercado global. Mais de 70 por cento de seus produtos são usados nos mercados de alimentos e artigos de consumo, atendendo a uma grande variedade de empresas como a Kraft Heinz, Procter & Gamble, Kimberly-Clark, Hormel, Boston Scientific e General Mills. Outros mercados incluem agronegócios, aparelhos médicos e aplicações farmacêuticas.

Em seu departamento de pré-impressão, a Bemis Graphics em New London, WI revisava arquivos originalmente como qualquer outra empresa, comparando-os visualmente. Eles passaram eventualmente para as ferramentas do Automation Engine, usando o Viewer Compare, que dispõe dois arquivos no topo um do outro e destaca as diferenças. Funcionou bem, mas eles queriam descobrir uma solução ainda mais automatizada, que pudesse economizar o tempo do operador e fosse menos sujeito a falhas.

“Como qualquer empresa, perderíamos coisas. Poderia ser qualquer coisa desde copiar o texto de forma incorreta e com erros ortográficos, até tocar em um logotipo e deixar cair algo fora da arte, inadvertidamente. Infelizmente, imprimimos algo incorretamente algumas vezes”, lembra Jeff Hochhausen, gerente de produção de gráficos da Bemis.

“Embora estejamos usando as ferramentas Esko há décadas, soubemos do Global Vision quando fomos encarregados de comparar trabalhos impressos com as provas para obter detalhes como placas, provas, cores e cópias corretas. As coisas podem se perder nesta fase”, lembra Hochhausen. “Do ponto de vista global do negócio, o ScanProof do Global Vision, em que digitalizamos uma amostra da prensa e a comparamos com um PDF visual, funcionou perfeitamente para nós. Então nos perguntamos: 'Por que não construir esse recurso em nosso fluxo de trabalho?' O Global Vision tinha uma opção baseada no servidor onde poderíamos colocar dois arquivos em uma pasta automática - a digitalização e o arquivo PDF gerado pelo Automation Engine. Buscávamos uma forma de automatizar o processo para adicionar velocidade. É claro que um sistema automatizado é mais rápido e mais preciso do que um processo manual.”

“Falei com a Esko durante a EskoWorld e perguntei se eles poderiam integrar as ferramentas do Global Vision no Automation Engine”, relembra Hochhausen. “No ano seguinte eles nos trouxeram uma solução beta e nos pediram para testá-la.” A Bemis vem usando as ferramentas do Global Vision e o Automation Engine juntos desde o início de 2016.

Bem depois de cada iteração de arquivo, a Bemis faz uma comparação ou verificação de arquivo. Todos os elementos gráficos e textos são verificados, junto com os códigos de barra, e comparados com a arte-final. Enquanto a arte é montada, eles fazem uma correção ortográfica e verificam o código de barras depois que a Esko normaliza o arquivo PDF. Depois comparam o arquivo com os arquivos de arte originais para ver se alguma coisa mudou. Quando eles acrescentam detalhes e montam imagens de alta resolução, realizam outra comparação com o arquivo PDF anterior. “Depois que exportamos o arquivo para a Esko Plato para a etapa executar e repetir, ainda comparamos os arquivos mais uma vez”, explica Hochhausen. “Vamos verificar a versão anterior de cada um dos arquivos totalmente executados. Nunca se sabe quando algo pode ter acontecido com até mesmo um par dos arquivos processados. Sabemos que se tivéssemos usado este processo no ano passado, teríamos capturado oito erros. É difícil capturá-los manualmente”.

A Bemis sempre pôde fazer as verificações ortográficas no Adobe Illustrator, mas a biblioteca de cada estação de trabalho tem que ser alterada se eles acrescentarem novas palavras; por exemplo, novos ingredientes. “Quando implementamos a correção ortográfica no Automation Engine, só temos uma biblioteca”, comenta Hochhausen. “Agora, quando são acrescentadas palavras ou ingredientes à biblioteca, cada uma tem a mudança instantaneamente. Também podemos garantir que nossos artistas estão fazendo a correção ortográfica porque ela é disparada automaticamente pelo Automation Engine. Antes, não podíamos ter certeza”.

“O que eu mais gosto é a velocidade com que podemos saber com certeza que nada mudou - exceto os elementos que o cliente pediu que mudássemos. Eu diria que tarefas como verificar o código de barras, sozinhas, economizam dez minutos por trabalho para nós. Antes verificávamos a impressão e digitalizávamos a prova. Tínhamos que nos deslocar da mesa para digitalizar a prova e verificar o código de barras manualmente. Agora tudo é feito automaticamente”, acrescenta Hochhausen.

A diretoria está muito interessada no ROI do sistema. “O sistema com certeza economiza tempo na arte-final”. Esperamos, também, que quando passarmos para o Software Platform 16 da Esko, seremos capazes de coletar e extrair dados XML que nos mostrarão quantos erros foram detectados”, ressalta Hochhausen. “É fácil fazer com o Automation Engine, Automation Engine: Connect e o MIS. Isso pode ser muito valioso”.

Uma das melhores surpresas é que a Bemis descobriu outras formas de usar as ferramentas do Global Vision. “Por exemplo, em nosso processo de entrada de pedidos, criamos pedidos como qualquer outra empresa e geramos um arquivo PDF a partir daí. Se alguém mais tocar o pedido e acrescentar algo indesejado, podemos detectar essas mudanças no pedido”, diz Hochhausen.

“Em última análise, gostaríamos de poder ignorar todas as outras etapas e comparar o arquivo PDF aprovado do cliente diretamente com os arquivos LEN de 1 bit. Tudo o que realmente temos de fazer é assegurar que o resultado final corresponde ao que o cliente aprova”, diz Hochhausen. “O sistema funciona realmente bem e eliminou erros, acelerando nosso processo de controle de qualidade.

Esko
Fale conosco


Inscreva-se
This website uses cookies and other tracking technologies. By using this website, you are agreeing to our
Privacy Policy.
This website uses cookies and other tracking technologies. By using this website, you are agreeing to our
Privacy Policy.